terça-feira, 7 de novembro de 2017

Com a bênção de Deus

O porrete baixa nas costas das bichas e macumbeiros
Os vermelhos e os pretos apodrecem na prisão-vingança
As bocas evangélicas vomitam fascismo como se cantassem o amor
As cantilenas neoliberais enrabam o povo como se o ninassem
As cobras, águias e urubus se apoderam dos quatro poderes
As chupetas eletrônicas adoçam a alma enquanto levam tudo
Os condomínios e apartamentos se apartam do mundo
As pessoas se apartam do mundo, umas das outras, de si mesmas
O ódio floresce nos jardins de asfalto

Nenhum comentário:

Postar um comentário